Cultura material militar::Toques para olhar fotos da 2ª Guerra Mundial::


Quer o redator queira, quer não, os leitores eventuais estão muito mais interessados em generalidades bélicas (tipo as tais armas portáteis e sistemas de armas) do que em reflexões superficiais sobre política e estratégia. “Cultura material” significa, de forma genérica, uma disciplina acadêmica que se ocupa em interpretar artefatos e tentar entender o contexto que os gerou e como eles interagem com seus contextos. Assim, essa “coluna” irá incorporar as armas portáteis e trará outras inserções, que tornarão a temática mais abrangente. Isso não significa que causa:: vá deixar de lado a política internacional e a estratégia. Temas assim continuarão a aparecer com certa freqüência porque gosto deles, e isto aqui serve principalmente para me divertir durante algumas horas por semana. Vamos ver no que dá…::

:: :: :: :: :: :: :: :: :: ::

O Luiz Neto, confrade lá do Weblog do Pedro Doria enviou-me, tem alguns dias, uma sequência bastante interessante de fotos de tropas da Wehrmacht em diversas situações de campanha. As fotos, coloridas, foram em sua maior parte provavelmente cortadas da revista Signal, uma espécie de “Fatos & Fotos” nazista (de fato, era baseada no formato da revista Life, que também foi inspiração de Fatos & Fotos), publicada entre 1940 e 1945. Achei as fotos muito interessantes por mostrarem uma visão um tanto sanitizada da guerra, característica da propaganda nazista (na verdade, de qualquer propaganda sobre a guerra, na época). Embora as fotos não sejam identificadas, é possível deduzir que dizem respeito à primeira fase do conflito (1939-1942). Essa dedução é possível em função da observação do que aparece nas imagens: armamento, paisagens e, principalmente, uniformes.

Os uniformes de combate usados pelas tropas alemãs variaram bastante ao longo da guerra, em função de diversos fatores, mas em geral foram sendo simplificados devido à falta de matérias-primas e simplificação dos processos industriais. Quando você abrir o link indicado, tenha em mente que estaremos nos referindo às fotos sempre de cima para baixo.

O que identificamos como “uniforme nazista” é, de fato, o padrão de vestimenta adotado a partir de 1935-1936, no bojo do rearmamento alemão. Embora essa série de uniformes fosse bastante diferente daquela adotada pela Reichswehr, manteve certas características que tinham sido herdadas do exército prussiano, particularmente as cores e distintivos de corpo, posto e função. O colarinho, no modelo 1936, tinha uma cor bem notável, verde-escuro, e os corpos de tropas eram identificados por cores: verde para a infantaria, vermelho para artilharia, cor-de-rosa para as forças blindadas, preto para pioneiros (engenheiros de combate), amarelo para comunicações, azul para corpos de saúde. Na foto em que vemos um primeiro-cabo (em alemão, obergefreiter) da infantaria com uma submetralhadora ERMA MP38, o uniforme pode ser examinado em alguns detalhes importantes. O primeiro é a cor: trata-se do feldgrau, o verde-acinzentado. O modelo é posterior a 1939, visto que o colarinho da túnica é da mesma cor do resto do traje. O tecido é lã de mescla, e é possível notar os bolsos chatos, e a “águia com hérnia”, o símbolo nazista que os generais concordaram em introduzir no uniforme em 1935. O posto pode ser visto na ombreira – o vivo na cor prata, no ombro e na gola, indica um graduado. O capacete é o tipo “balde de carvão”, o modelo 1935, que substituiu o modelo 1917 ainda usado pela Reichswehr – pode ser identificado pelos rebites e pelo acabamento das bordas. O desenho mudou consideravelmente depois de 1942, e o acabamento passou a ser bem mais grosseiros. O outro soldado é, provavelmente, um Obergrenadier, posto que não existia em outros exércitos. Por sinal, assim como no exército norte-americano o soldado de infantaria é chamado rifleman (fuzileiro) na Wehrmacht, após a reforma feita pelos nazistas em 1934, o soldado de infantaria passou a ser chamado de grenadier (granadeiro), denominação atribuída no Königsheer e na Reichswehr apenas a membros de unidades de infantaria de elite.

As três fotos seguintes mostram prisioneiros de guerra, provavelmente russos, dois tanques do exército vermelho (note que um deles é um M-4 fabricado nos EUA) diante do que aparentemente são os montes Sudetos, na fronteira entre a Tchecoeslováquia e a Alemanha, e oficiais soviéticos diante de tropas perfiladas (o uniforme do Exército Vermelho adotava a cor cáqui). A foto seguinte mostra uma esquadra de infantaria alemã, e deve ter sido feitano final de 1941. O lugar é, certamente, a Rússia. Os soldados usam Sumpfmuster, casacos de inverno acolchoados de dupla face (método muito comum na Wehrmacht). O chute quanto ao ano é pelo fato de que o metralhador carrega uma MG-34, arma que deixou de ser distribuída em meados de 1942, substituída pela MG-42. Todos os infantes usam feldmütze (boné de campanha) modelo 1934, e não se vêem capacetes.

As duas fotos seguintes mostram infantes em marcha, equipados no padrão anterior a 1943: todos portam fuzis Mauser KAR98K e o metralhador transporta uma MG34. Depois de 1943, se tornou comum que a infantaria recebesse submetralhadoras e a MG42 se tornou onipresente. Um detalhe importante é o fato de que os infantes (são todos grenadieren, soldados rasos) usam as conhecidas marschstiefeln, botas de marcha. Em boa parte dos filmes de guerra, os soldados alemães usam esse tipo de calçado, que se tornou mais raro depois de 1943, por ser difícil de fazer e precisar de muito material – principalmente couro. A foto seguinte é mais interessante, porque parece ter sido feita em 1939 ou no início de 1940 – basta observar o colarinho do infante no fundo, verde escuro, que deixou de ser usado depois da campanha do Ocidente. As fotos seguintes não fogem do padrão das anteriores: equipamentos do padrão 1936-1942 (inclusive um canhão anticarro PAK 37, que se mostrou inútil até contra os tanques soviéticos mais leves), botas de marcha e capacetes modelo 1935. É interessante observar a túnica regular modelo 1940, que, com exceção do colarinho, é idêntica ao modelo 1936. O comprimento foi diminuído nesse desenho, pois se imaginava que fosse mais adequada para uso em transporte motorizado. O tecido é de fibras naturais – provavelmente algodão e lã. Depois de 1943, e a fortemente em 1944, o material usado em uniformes passou a ser principalmente sintético, devido à escassez de algodão.

Devemos notar que todas as fotos mostram tropas  integrantes de divisões de infantaria. É notável o uso de transporte hipomóvel – carroças a cavalo – que, até o final da guerra foi o principal meio de transporte da Wehrmacht.

Também se deve observar que não aparecem uniformes camuflados, que se tornaram comuns após 1943-44. O único pano camuflado aparece cuidadosamente enrolado (cuidadosamente demais) no equipamento de um infante ao lado de uma MG-34 em reparo pesado. Aparentemente se trata de um Zelthbahn, um tipo de poncho que, reunido com outros três formava uma tenda de campanha. O padrão, embora pouco visível, deve ser o splittermuster modelo 1931, único padrão de camuflagem usado pela Wehrmacht antes de 1942::

Anúncios

4 pensamentos sobre “Cultura material militar::Toques para olhar fotos da 2ª Guerra Mundial::

  1. Valeu, grande Bitt.

    Só mais uma dúvida: na nona foto (que mostra dois oficiais soviéticos diante da tropa perfilada), a tropa é mesmo do Exército Vermelho? Repare nos capacetes e também na antepenúltima foto, que aparentemente foi tirada na mesma ocasião. Não haveria uma tropa americana ali pelo meio?

  2. Caros,

    A tal nona foto parece mostrar um encontro entre tropas americanas e soviéticas na Alemanha, no final da guerra. Reparem na ante-penúltima foto mais abaixo, soldados americanos ao fundo com um Stuart M5, os fotógrafos russo e americano em primeiro plano. A foto dos tanques (T34-95 e Sherman) pode ser da mesma leva, as montanhas ao fundo podem ser da região de Torgau, na Saxonia, no histórico encontro entre as forças americanas e russas no rio Elba. Não sei se as montanhas são da região, mas para ter fotos à cores, pode ou deve ter sido neste evento especial.

    Nossa, e aquele braço decepado do soldado alemão? Não parece efeito especial…

    Falando em fotos, a Wikipedia disponibilizou TODO O ARQUIVO DE FOTOS DO BUNDESARCHIV para quem quiser ver… as fotos do período de 33 até 45, 46 são incríveis, muitas imagens conhecidas, mas muitas outras inéditas para quem achava que já viu tudo sobre SGM…

    Abrcs!

    J BArone

  3. Luiz e Barone,
    reparei um detalhe curioso – tanto a foto q o L. se refere qto a q o B. fala mostram as mm montanhas. Fiquei realmente curioso sobre onde seria (imaginei os montes Sudetos pq já vi outras fotos q parecem com aquelas e os russos passaram por ali), mas não consegui nenhuma confirmação. Não sei se entendi o coment do B. mas o T34/85 e o Sherman são soviéticos – observe-se o estilo do número pintado na torre. Tb acho q o braço decepado não seja efeito… A Signal publicava mta foto de gente ferida.

  4. Ok Bitt,

    O T-34/85 e o Sherman são russos sim, curioso ver este modelo do Sheman com marcação russa, sendo um “late prod” com canhão de 76mm. Quis dizer que a foto dos tanques e a outra que mencionou parecem tirdas nas mesmas montanhas, possivelmente, mesmo local… estas montanhas também parecem cenãrio da Baviera… quem sabe estas fotos sejam pós-maio/45 nesta região.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s