Uma fortificação, posto que é segunda::


fortcopa

Desde a instalação da cidade do Rio de Janeiro na região do morro do Castelo, sua defesa era feita por um anel de fortificações – cuja eficácia era bastante questionável. A posição mais avançada dessa linha de defesa era uma bateria instalada na Ponta da Igrejinha, na Praia de Nossa Senhora de Copacabana, citada desde a segunda metade dos Setecentos. No início do século 20, a Revolta da Armada mostrou que a capital da República era bastante vulnerável a um ataque por navios. Foi então decidida a construção de uma grande fortificação no antigo sítio. O major-engenheiro Tasso Fragoso fez o projeto, que foi depois detalhado nas Usinas Krupp. A construção foi feita com peças de concreto pré-moldadas, fabricadas na Alemanha. Tratava-se de uma estrutura acasamatada, projetada em torno de canhões de grosso calibre e grande alcance. A instalção foi iniciada em 1908. Ocupando uma área de cerca de 114.000 m2, o Forte de Copacabana foi inaugurando em 28 de setembro de 1914 (veja aqui uma outra interessante foto do Forte). As paredes externas, voltadas para o mar, tem 12 m de espessura, e protegem salas de comando, unidades de direção de tiro, paióis, casas de máquinas, tudo servindo às baterias principais, equipadas com canhões Krupp de 305mm e secundárias, de 190mm e 75mm. As duas primeiras montam 4 bocas de fogo (duas de cada calibre) assentadas em torres giratórias de aço, acionadas por motores elétricos. Na ápoca da inauguração, era a mais moderna fortificação da América Latina. A eficácia da tecnologia alemã foi testada em 1922, quando o encouraçado “São Paulo”, um Dreadnought da Marinha Brasileira disparou cinco salvas, contra o forte, conseguindo dois impactos diretos (gostaria de saber onde caíram os outros disparos…). A instalação permaneceu intacta, e a marca de um dos impactos ainda é visível em uma das cúpulas de aço. O Forte de Copacabana foi desativado como unidade militar em 1986.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Uma fortificação, posto que é segunda::

  1. Muito bom, espero que a referência tenha sido útil. Só uma sugestão coloque o nome do forte no título. Na primeira leitura fiquei na dúvida sobre a qual forte do Rio vc se referia.

    • Renato, com certeza. :c) Fico feliz com essas colaborações. E gostaria de mais opiniões sobre o projeto, entes de ampliá-lo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s