Duas frases para pensar::Afinal, é uma Sexta-feira muito especial::


Duas só é pouco. Tem muito o que se pensar, no dia 8 de maio… ::

:: :: :: :: :: :: :: :: :: ::

Imediatamente, as duas guerras – a européia e a asiática – se transformaram em uma só, com a Alemanha e o Japão lutando de um lado, e os Estados Unidos, a Inglaterra, a China e a maioria das outras nações do mundo, do outro. Essa sim, era uma guerra mundial, enquanto a Primeira Guerra Mundial havia sido principalmente um conflito europeu com algumas pontas e farpas. (Geoffrey Blainey – Uma breve história do mundo. Pag. 309)

Morrer pela Pátria, pela Idéia … Não, isso é fugir da verdade. Mesmo no front, matar é que é importante … Morrer não é nada, isso não existe. Ninguém pode imaginar sua própria morte. Matar é o importante. Essa é a fronteira a ser cruzada. Esse sim é um ato concreto de vontade. Porque aí você torna sua vontade viva na de outro homem. (Extrato do testamento de um voluntário das “Brigadas da Morte” da República Social Italiana, 1944, citado por Eric Hobsbawn – Era dos extremos. Pag. 113)

Eles saíram de todos os lugares, rapazes no fim da adolescência, sorriso fácil e largo. Tinham orgulho de si mesmos – apesar do que alguns dizem, hoje em dia, sabiam o que estavam fazendo. Muitos não voltaram – centenas de milhares. O que somos, o que temos, hoje, devemos, em grande parte, a eles. Lembrá-los é uma tarefa sagrada. (Stephen E. Ambrose. Azul sem fim. P. 26)

Eu tinha 18 anos em 1942. Meu treinamento durou 9 semanas. Comigo eram 344 rapazes. Caramba, sentíamos muito orgulho daquilo tudo. Em 1945, estava em um hospital perto de Mainz, e os ingleses prenderam todo mundo. Fui solto em 1948, não sei exatamente porque. O que sei é que o mundo tinha acabado. (Wilfried B., artilheiro de um Panzer IV da Divisão Blindada SS Wiking)

Essa boa causa santificou essa guerra. (O redator desse blog)::

Anúncios

9 pensamentos sobre “Duas frases para pensar::Afinal, é uma Sexta-feira muito especial::

  1. bitt,

    Nem vou comentar o belo texto por agora. Mas só queria deixar uma dica que encontrei no Diplo: A Rede Café na História revelou, no artigo “As cores do Nazismo”, que Hitler e os principais líderes nazistas não foram fotografados somente em preto e branco. Os ‘cliques’ coloridos eram raríssimos na época, mas existem. Mas donde brotaram tais fotos?

    Segundo o artigo, elas pertencem ao ao arquivo privado da revista americana LIFE. Caiu na rede, é para se mostrar.

    E apesar do estranhamento que causa ver que Hitler e seus carrascos eram pessoas coloridas, vale a pena dar uma conferida.

    Beijo

  2. Aliás, garimpando na Internet encontram-se verdadeiros documentos históricos da WWII, em forma de vídeo.

    Como esse documentário [propaganda oficial de guerra – na verdade] alemã sobre a conquista da França, com incríveis 45 minutos.

    Pra quem se interessa por assuntos militares e históricos e políticos, vale a pena ver.

    Preservandos-se, sempre, o senso crítico, obviamente.

  3. Valeu Alba.

    Tenho mais uma dica de vídeos, estes realmente sensacionais, porque foram feitos por soldados da própria Whermacht durante a Guerra e editados num documentário, com entrevistas dos próprios veteranos. Pelo menos para mim, são cenas inéditas dos “bastidores” da Guerra.

    Não assisti todos ainda, mas uma coisa é certa: deve-se, realmente, celebrar o fim da WWII.

  4. Diogo,

    Os vídeos apareceram pra enriquecer, ora pois! E estão rigosamente de acordo com o assunto, ou topic.

    Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s