O mês da Guerra do Paraguai::Ainda temos alguma coisa a aprender com os gringos::


É razoável considerar que o Brasil não se mete em tantas guerras quanto os EUA e a URSS/Rússia, desde sempre, ou a Grã-Bretanha, no século passado e no anterior. Mas muitos de nossos compatriotas morreram em combate, ao longo de nossa história, e o único cemitério nacional que construímos foi o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial. Tivemos mortos antes, e tivemos mortos depois. Eles mereceriam alguma homenagem. É muito bom que nossos principais combates, ao longo do século 20, tenham se dado em campos de futebol ao redor do mundo, mas também tivemos mortos em combate, desde então, a maioria deles na espúria “quase-guerra-civil” de 1964-1976. Reconciliações para esse tipo de episódio são sempre difíceis (vide as discordâncias perenes sobre a “Lei da Anistia” e a recente proposta da “Comissão da Verdade“). Mas não seria um ato de reconciliação simbólica sepultar os mortos de ambos os lados em um único cemitério nacional? Eram inimigos mas eram todos brasileiros. Estará o redator delirando? Possivelmente. Mas que seria um belo ato, lá isso seria….

Abaixo, algumas fotos de cemitérios nacionais nos EUA, Rússia, Grã-Bretanha, França e Canadá. São tratados como monumentos de responsabilidade do governo dos respectivos países.

 

Cemitério Nacional de Arlington, Virgínia, o cemitério nacional dos EUA. A imagem mostra o “Dia da Recordação” (Memorial Day), um feriado nacional, por lá, no qual são lembrados os veteranos, vivos e mortos. É um dia de grandes paradas e visitas aos “cemitérios nacionais”, aos memoriais de guerra e aos museus militares. A Administração Nacional de Parques (National Park Service) é responsável pelo funcionamento de 14 cemitérios nacionais, no território norte-americano; a Administração Nacional de Veteranos (U.S. Department of Veteran Affairs), outros tantos.  

Cemitério Estadual dos Soldados, Mississipi. Soldados da União e dos Estados Confederados repousam lado a lado. Quem sabe não acabaram tendo tempo para resolver suas diferenças?.. Apesar de administrados pelos governos estaduais, muitos desses cemitérios são considerados monumentos nacionais – aqui, uma lista completa.

Memorial do Soldado Britânico em Atenas. Homenagem à memória de mais de 2500 militares britânicos mortos em combate nas operações realizadas em território grego na Segunda Guerra Mundial, mantido com fundos providos pelo governo da Grã-Bretanha. Dezenas de cemitérios de combate e memoriais são administrados pela Comissão de Sepulturas de Guerra da Comunidade Britânica, orgão multinacional sediado em Londres.

Cemitério Comunitário de Bailleul, França. Mais de 20.000 mortos de diversas nacionalidades, abatidos na batalha do Somme, na 1a Guerra Mundial.

Neepawa Riverside Cemetery, Ontário, Canadá. Soldados, aviadores e marinheiros canadenses mortos na 2a Guerra Mundial repousam ao lado de alguns de seus camaradas britânicos.

Corneteiro toca um dobrado fúnebre em homenagem aos soldados alemães que repousam em covas individuais no cemitério de Sologubovka, localidade próxima de São Petersburgo (antiga Leningrado). O monumento foi levantado pela Associação Alemã de Sepulturas de Guerra (Volksbund Deutsche Kriegsgräbefürsorge), organização civil federal dedicada a identificar sepultamentos de combate. Repousam lá os restos de cerca de 20.ooo combatentes alemães, metade deles identificados. A Associação espera que, no futuro, os restos de 80.000 combatentes alemães mortos na 2a Guerra Mundial sejam retirados de covas coletivas e sepultados individualmente. Ao contrário do que se imagina, os soviéticos, desde a época de Stalin, procuraram identificar e sepultar os militares estrangeiros mortos em combate em seu território. Existem atualmente 89 cemitérios militares lá, com cerca de 400.000 mortos, identificados ou não::

Anúncios

2 pensamentos sobre “O mês da Guerra do Paraguai::Ainda temos alguma coisa a aprender com os gringos::

  1. Boa noite,

    Parabéns, o Brasil tinha que possuir uma homenagem a altura dos milhares de brasileiros que derramaram seu sangue defendendo nosso território.
    No Paraguai, por exemplo, morreram muito mais brasileiros, a proporção é de 30 para 1.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s