Uma fortificação, posto que é segunda::Krak des Chevaliers::

Embora nós os conheçamos como casa da Bela Adormecida, castelos são fortificações. O nome vem do latim castrum (plural castra), construção ou parcela de terra usada para fins militares normalmente nas fronteiras do império.  O desenvolvimento dos castelos, desde a Alta Idade Média, é importante capítulo do desenvolvimento da arquitetura militar no Ocidente::

:: :: :: :: :: :: :: :: :: ::

717137

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Castelos são fortificações do final da Idade Média, quando esse tipo de arquitetura militar alcançou o auge. O Krak des Chevaliers (“Fortaleza dos Cavaleiros”, sendo que a palavra krak vem do siriano karak, significando “forte”, ou “fortaleza”) situa-se a leste de Trípoli, no atual Líbano. Foi construído pela Ordem dos Cavaleiros Hospitalários, para a defesa da rota entre o principado de Antioquia e o condado de Beirute (estados latinos estabelecidos pelos cruzados) contra incursões dos islâmicos vindos do emirado de Damasco. Era o maior de uma rede de castelos que defendia os acessos ao Mediterrâneo. Composto por vários anéis concêntricos de muralhas de pedra, a primeira muralha cerca um segundo anel construído em volta da corte (habitação) central. As muralhas do anel interior eram mais altas do que as externas, para que os defensores sempre estivessem em vantagem devido a posição superior. Outras obras defensivas incluíam fossos, rampas íngremes, pontes levadiças, portões e grades de ferro. Os acessos eram projetados de tal forma que obrigavam uma possível formação invasora a ter de marchar lentamente, sem possibilidade de usar suas armas. Os Hospitalários resistiram aos árabes por mais de 100 anos, e entregaram o castelo em 1271, depois de um breve cerco de um grande exército muçulmano.

 

 

 

 

 

Tal como todos os outros castelos da Baixa Idade Média, o Krak des Chevaliers era uma fortificação projetada sem levar em conta nenhuma outra arma que não as de arremêsso mecânico (instrumentos de cerco característicos da época), de ponta-corte, utilizadas individualmente (toda uma gama de espadas, lanças e dardos) e de impacto (maças e clavas de todos os tipos). Não previam a existência de armas de arremêsso pirobalístico (um outro nome para “armas de fogo”), que, quando surgiram, lançaram no passado toda aquela tecnologia::

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s